Como cada cada año, viene en mayo el Festival FIMFA Lx de Lisboa, que en la presente edición transcurre del 7 al 25 de mayo. Casi un  mes entero de actividades titiriteras con un programa de alto nivel, como podrán ver a continuación. Un Festival que se desarrolla en muchos espacios diferentes de la ciudad, desde el mismo Museu da Marioneta hasta el Teatro Nacional D.Maria II, el Teatro São Luiz, o el Teatro Maria Matos, entre muchos otros lugares. Reproducimos a continuación la presentación del festival que dirigen Luís Vieira y Rute Ribeiro, de A Tarumba.

FIMFA LX14

A Tarumba-Teatro de Marionetas realiza em Lisboa, de 7 a 25 de Maio, a 14ª edição do FIMFA Lx – Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas, com direcção artística de Luís Vieira e Rute Ribeiro. Um projecto multidisciplinar de dimensão internacional, empenhado desde a primeira edição na promoção, divulgação e reconhecimento de uma área específica de expressão artística: o universo das formas animadas. Os espectáculos programados revelarão a múltipla presença da marioneta nas artes cénicas de vários países, numa perspectiva maioritariamente contemporânea.

“Nós criamos robots por razões poéticas.” – Amit Drori

O FIMFA Lx afirmou-se nacional e internacionalmente, desde 2001, como um espaço de programação contemporânea, inovadora e alternativa, que se desenrola a partir de critérios rigorosos de qualidade e reconhecido mérito artístico. É sustentado por um conjunto amplo de parcerias de programação, apresentando as formas contemporâneas de teatro de marionetas para um público adulto, mas não esquecendo o seu contraponto com as mais tradicionais.

“A principal característica dos marionetistas é a crença na vida oculta das coisas. Um pedaço de papel amarrotado, uma cadeira de cozinha, uma caixa ou um livro podem parecer respirar nas suas mãos. Outra característica marcante (…), é a criatividade visual que desejam expressar em termos cénicos. Olham paraum texto através do prisma das imagens em movimento; vêem camelos nas nuvens, bailarinos em narcisos, um homem velho num saco de lixo preto ou lobos nas paredes.” – Penny Francis

FIMFA LX14
Amit Drori. Foto ®Sylwia-Drori.

Maio é o mês do FIMFA! Durante dezanove dias Lisboa será de novo o grande ponto de encontro internacional do teatro de marionetas e formas animadas. São nossos convidados cerca de catorze companhias e criadores, provenientes de diversos países, como a Alemanha, França, Espanha, Finlândia, Holanda, Noruega, Israel, Reino Unido e Portugal. Estão previstas cerca de cinquenta representações que envolvem espectáculos de sala, de pequenas formas e de rua. É ainda desenvolvida uma componente laboratorial e experimental, que permite a aproximação e troca de experiências entre criadores, bem com um conjunto de actividades complementares.

“Enquanto um actor luta para morrer no palco, as marionetas lutam para viver e é por causa desta luta que o público é capaz de criar empatia com elas.” – Adrian Kohler, Handspring Puppet Company

A 14ª edição tem o apoio do Governo de Portugal / Secretário de Estado da Cultura – Direcção-Geral das Artes e envolve, mais uma vez, um conjunto de parcerias fundamentais para a sua realização, com alguns dos mais importantes agentes culturais da cidade, destacando-se a que se realiza com a EGEAC e as co-produções com o Teatro São Luiz, o Teatro Maria Matos, o Museu da Marioneta, o Teatro Nacional D. Maria II, o Centro Cultural de Belém – Fábricas das Artes, para além dos apoios e parcerias com a Câmara Municipal de Lisboa, o Teatro Meridional, entre outros.Este ano o FIMFA realiza ainda uma nova parceria, com um novo espaço de apresentação, o Teatro Taborda.

FIMFA LX14
Acteon. Foto ®Benoit-Linder

Um programa composto por novas criações, portuguesas e internacionais, quase todas estreias nacionais, que abordam temas como a memória, a separação, o amor, o terrorismo, a morte, o medo, a alegria, a partir de formas, técnicas e propostas estéticas muito diferentes entre si, mas com pontes de ligação bastante singulares, numa perspectiva de transversalidade artística, estabelecendo ligações entre a marioneta e outros campos artísticos. Jovens e reputados artistas que mergulham na mitologia e nas grandes sagas e que se apropriam da liberdade criativa do teatro de marionetas.

Ao apresentarmos o programa da 14ª edição não podemos deixar de compartilhar o facto de a sua organização ter sido das mais difíceis desde que o FIMFA teve o seu início, a determinada altura pareceu-nos mesmo que seria impossível a sua realização. Nestes tempos difíceis há que saber equacionar e redimensionar perante um orçamento muito inferior ao das edições anteriores. Elaborámos um festival que persevera os seus objectivos e que mostra que a marioneta é uma arte em plena evolução. Em cada época o Homem tem projectado na marioneta as suas preocupações, reivindicações, desejos e sensibilidade, os seus artistas conseguem levar-nos para paragens de sonho e também para dentro de nós próprios, ou seja, a marioneta como um espelho de diferentes visões do mundo.

Transformadores, renovadores, inventores de objectos e de ideias, revolucionários… diferentes criadores revelam a imaginação e a riqueza deste campo artístico, que continua a explorar terrenos novos e imprevistos, em dialéctica com outras formas de arte.

Um toque de loucura, uma boa dose de humor, actores extraordinários, temas perturbantes e marionetas, uma combinação fantástica sobre a vida e a arte vai desfilar perante os nossos olhos, num festival desenhado para nos intrigar, inspirar e levar numa viagem sem preconceitos pelo universo do movimento e da imagem.

FIMFA LX14
An Attic Full Puppets. Foto ® Mumford Puppets.

FIMFA Lx14 | Destaques

No Teatro São Luiz decorrerá a abertura do Festival com um espectáculo deslumbrante da companhia finlandesa WHS, que cria em palco um universo em que o circo, a magia, a dança, o guarda-roupa, o teatro de objectos e as artes visuais se misturam para prestarem tributo ao cinema a preto e branco, aos filmes de Michelangelo Antonioni e aos mestres de magia do século XIX. Os efeitos especiais são absolutamente incríveis, com projecções gigantes e transformações em palco que nos vão fazer duvidar do que vemos… a própria roupa parece ter vida própria e espelha o estado de espírito das personagens! As imagens parecem por vezes evocar o pintor romântico Caspar David Friedrich… e sentimos que estamos perdidos num sonho surrealista, onde nada parece ser o que é, até mesmo passar a ferro uma camisa… Imperdível!

FIMFA LX14
Puppentheater Halle, “Buddenbrooks”.Foto ® Gert Kiermeyer.

Mercè Gost – La Cònica apresenta uma ementa especial para uma soirée gourmet cheia de poesia, sombras, música e luz… verdadeiros cocktails de amor que o público vai poder escolher, num ambiente intimista, com uma performer carismática, que cria a sombra dos abandonados e revela a magia de dar vida aos objectos rejeitados e inúteis, com extrema sensibilidade…

O Teatro de Ferro leva-nos numa viagem ao espaço, num espectáculo para ver em família, onde poderemos acompanhar as aventuras de Carla Cosmonauta, com um curioso dispositivo cénico que contém o espaço da cena e o espaço do público, ou seja, a plateia está no palco e o palco, por vezes, na plateia! Uma nave espacial do passado disfarçada de futuro e com ares de objecto voador não identificado, mas só à primeira vista, porque também faz lembrar um carrossel, um half-pipe ou um teatro grego antigo…

Realçamos ainda a estreia do documentário “An Attic Full of Puppets”, do premiado realizador Richard Butchins, que também estará presente. Um filme comovente sobre Frank Mumford, um dos maiores mestres do teatro de marionetas,actualmente com95 anos, que actuou para as cabeças coroadas da Europa e que chegou a actuar em Lisboa para 600 pessoas… com entrevistas, fotografias e filmes de época, é traçado um retrato comovente sobre o seu passado, presente e futuro!

No Teatro Maria Matos, um dos grandes destaques do festival, a reputada companhia alemã Puppentheater Halle apresenta “Buddenbrooks”, de Thomas Mann, interpretado pelassuas marionetas hiper-realistas, numa manipulação de extrema precisão, com a reprodução de gestos perturbadoramente humanos, que nos são a ilusão de estarem “vivas” e… os PuppentheaterHalle celebram este ano o seu 60º aniversário!

O TJP – Centre DramatiqueNational d’Alsace Strasbourg apresenta a nova criação do seu director, RenaudHerbin, com marionetas de fios construídas pelo português Paulo Duarte, inspirada num dos mitos das Metamorfoses de Ovídio. Um espectáculo fascinante no cruzamento da marioneta, da dança e de uma reflexão sobre as imagens e a matéria.

No Museu da Marioneta a companhia Plexus Polaire revela um imaginário entre o fantástico e o humor, deliciosamente noir e terrivelmente arrepiante, com números perigosos e criaturas monstruosas, que provoca gritos, lágrimas e gargalhadas até ao final. Um espectáculo criado por YngvildAspeli, membro da Compagnie Philippe Genty, e com PolinaBorisova, que maravilhou os espectadores da última edição do FIMFA, com o seu espectáculo Go!

Nicola Unger traz-nos um trabalho sobre o terrorismo e o destino, recorrendo a sombras, recortes de papel e projecções, num espectáculo fora do comum inspirado numa história verdadeira e no terrível Chacal, a não perder!

O Teatro de Marionetas do Porto apresenta o seu último espectáculo, criado a partir das ilustrações Pelos Cabelos, de João Vaz de Carvalho, onde o humor e o absurdo se fundem para mais uma experiência com muitas marionetas.

O Teatro de Ferro estreia OLO no FIMFA, após a apresentação ainda em workinprogressna edição anterior. Um novo solo em que a própria condição do criador intérprete é posta em causa.

No Teatro Nacional D. Maria II poderemos fazer uma viagem por Savanna, uma paisagem fantástica, um Jardim do Éden africano habitado por belos animais que são autómatos: elefantes, cobras, tartarugas, pássaros, caracóis, mariposas e lagartas… O bestiário mecânico construído por Amit Drori parece ter saído directamente da imaginação de Leonardo Da Vinci. Um espectáculo povoado por requintados animais robóticos e esculturas com movimento!

No Centro Cultural de Belém um espectáculo para os mais pequenos de Etienne Lamaison e Sylvain Peker, inspirado em Miró, com música ao vivo.

No Teatro Meridional um curioso espectáculo para ver em família de Miguel Fragata e Inês Barahona, sobre a existência, a vida e a morte, e o caminho que todos temos de fazer, um dia, para nos despedirmos de alguém. Um espectáculo que reflecte sobre o fim, que é um mistério para todos nós, criançasou adultos.

FIMFA LX14
“Mironescópio: A Máquina do Amor”, de A Tarumba.

No Teatro Taborda a companhia A Tarumba apresenta o seu espectáculo “Mironescópio: A Máquina do Amor”, numa nova temporada. Um trabalho experimental sobre o erotismo, com a utilização de objectos, sombras e figuras articuladas, que em breve viajará por alguns dos festivais mais importantes da Europa de Leste…

E nas Ruas de Lisboa adivinhem quem está de volta! Big Rory, um gigante escocês com quase três metros de altura e que toca gaita-de-foles, e o seu muito amado cão, Ochie, um rafeiro caprichoso, muito maroto…! Um espectáculo deambulatório onde (de certeza absoluta!) todos irão rir às gargalhadas!

Toda a programação em: www.fimfalx.blogspot.com

*Programa sujeito a alterações

**Preços praticados de acordo com as bilheteiras de cada um dos locais de apresentação do FIMFA Lx14

Etiquetas: , , ,